Temporada de Incêndios

Em casa eu assistia TV, um programa desses que passam a tarde em um desses canais que ninguém assiste. Na hora do comercial comecei a mudar os canais de forma automática. 
Passa um, outro, nada, mais um e lá estava, chamas enormes tomando conta de várias casas em um bairro da zona leste de São Paulo. 

Imediatamente fiquei em estado de alerta, escutei o que o jornalista falava, ouvia as informações preliminares passadas pelo cara ali dentro do estúdio.
Comecei então a buscar informações a respeito do que estava acontecendo. Ligações, mensagens e logo estava na rua a caminho do incêndio.

Como sempre a sensação não era real, eu imaginava que as pessoas estavam passando pelo pior momento da vida delas, mas não sentia isso ainda.
Uma hora e cinquenta e cinco minutos, esse foi o tempo que demorei a chegar na Guaíba, assim é chamado o lugar na Vila Clarisse, zona leste de São Paulo, o local onde as pessoas haviam perdido tudo, tudo mesmo.

O cheiro das casas queimadas não parecia com nada que eu já havia sentido. Fogueira, churrasco, queimadas de canaviais, sim eu já senti esses cheiros na vida e posso dizer, nada é igual ao cheiro de casas queimadas. Talvez o cheiro de casas queimadas seja mais que isso, talvez esse cheiro tenha mais do que só casas queimadas. Imagino que as roupas, camas, fogões e geladeiras, porta retratos e molduras com as fotos das mães e pais que estavam nas paredes tenham uma contribuição nessa diferença de odores. Talvez os cadernos escolares e as mochilas, bonecas, carrinhos e berços queimados  ponham um cheiro mais pesado nesse aroma que ninguém deseja sentir. 

Gente com baldes nas mãos cheios d'água e as pessoas tentanso apagar os focos de fumaça que teimavam em asfixiar as crianças e idosos que olhavam os carvões içados que antes eram vigas e colunas.Senti muita coisa ali, senti raiva, vontade chorar, me senti ninguém, inclusive. Mas senti também que a única coisa que de fato podia fazer era contar essa história, sei que é pouco, sei que pode parecer que não é o suficiente, mas sei que é a única coisa que realmente posso fazer por essas pessoas que não tem mais seu teto pra descansar quando chegarem cansados dos seus trabalhos.

100 casas foram queimadas. Não houve nenhuma morte ou desaparecido, mas as sequelas são bem significativas.