Ensaio Coletivo

"As Chicas" - Summertime 

Por: Lucas Jacinto  

O ensaio “As Chicas” é o fruto da vivência fotográfica no interior de São Paulo, mais especificamente, em Piracicaba – cidade localizada à 120km da capital. Esse trabalho integra uma série de ensaios programados para janeiro de 2017 com o objetivo de reunir o maior número de fotos dirigidas com a temática de verão.

Claro que existe alguma coisa estranha nisso: verão, interior – bem longe do litoral, cidade provinciana onde com certeza existem mais canaviais do que água e nenhum espaço público onde as pessoas possam se refrescar. Pois é, e para compensar esse desfalque nos elementos propícios para curtir o verão que passa na tv, o projeto possui algumas premissas que vem sendo aplicadas em todos os ensaios.

Além dos conceitos técnicos, como o uso abusivo de rebatedores, um pouco de flash fraco e diafragma fechado – para garantir o brilho, definição e ponto de focos maiores -, existe um objetivo a ser alcançado com toda e qualquer pessoa que aceite fazer parte dos ensaios: criar uma caricatura do que seria um verão especial na terra da pamonha, exagerando e ampliando os pontos mais marcantes desse cenário e criando, por meio da direção, um ambiente onde o fotografado se sinta livre para se tornar uma caricatura de si mesmo também.

Outra parte essencial do projeto é a ideia de manter as cores quentes e os elementos mais clichês do verão dentro dos quadros, interagindo com o suor dos corpos e as roupas de banho, trazendo a sensação constante de calor.

Em “As Chicas”, o resultado desse processo de produção foi o melhor e mais inesperado. Boa parte disso é mérito dos modelos Jonathan Rissi e Peu Leone, dois estudantes de Rádio e Tv que toparam todas as cenas dirigidas, que incluíam algumas jarras de suco de pozinho, bagunça com melancia, cadeiras de praia, e um possante clássico azul calcinha – para contrapor as cores do visual dos rapazes. Toda a estética foi decidida em conjunto e as peças de roupa eram deles.

Em um primeiro momento, quem vê as fotos acaba levando um choque entre o contraste de cores, valores, ideias e ideais implícitos nos registros e na atitude dos modelos. E não é para menos: o projeto visa a congruência entre o modelo, o tema, o cenário e o conceito. Nesse caso, Jonathan e Peu foram impactantes porque realmente possuem aquela atitude.

Os estudantes fazem parte de uma parcela de jovens da cidade que não se abatem com os retrocessos caipiras, e estão inseridos em um círculo de pessoas muito rico de vivências e experiências artísticas, onde eu me arriscaria a dizer que está concentrada boa parte da nova geração da moda, da fotografia, do cinema e da arte visual subversiva do interior. Para entender a síntese de tudo isso, é realmente necessário ver as fotos com os próprios olhos.

Para conhecer mais do trampo do Lucas segue ele la no INSTAGRAM  e também na sua pagina no FACEBOOK