PRETO no Branco

Foi muito curioso como esse projeto nasceu, o PRETO no Branco nada é que uma forma de protesto que encontrei para mostrar de uma maneira "sutil" como o povo NEGRO sempre foi desrespeitado e deixado para trás, acho também que é um bom momento para falarmos disso já que Novembro é o mês da Consciência Negra. Em meio a varias noites no Bar do Binho tomando minha cerveja, fotografando e conversando com amigos, sempre reparei no movimento de pessoas negras por ali.

Uma coisa que vem crescendo cada vez mais na região do centro de SP, e isso vem sendo maravilhoso, com toda riqueza que o povo NEGRO tem. Comecei então a fotografa-los, exclusivamente mulheres e homens negros, ali mesmo na calçada com a mesma parede de fundo, e questiona-los como é ser uma mulher e um homem negro em São Paulo. Isso foi muito mais do uma simples pergunta para um projeto fotográfico, nessa mesma pergunta eu procurava respostas para mim mesmo. Já que nós NEGROS somos podados e discriminados desde a infância por uma sociedade hipócrita e maliciosa. 

Eu Rodrigo Zaim, me assumi um homem NEGRO apenas aos 20 anos de idade, hoje com 25 digo que tenho apenas 5 anos rs. Parece ser engraçado isso tudo né, mas é muito mais complicado do que parece. Você assumir sua pele, seu cabelo, seu nariz, sua religião, suas raízes, é meu chapa isso leva algum tempo. O tempo de quebrarmos as amarras que foram impostas para todos os negros, não só do Brasil mas do mundo inteiro. E em meio a tantas entrevistas duas palavras se destacava no discurso de 90% de todos: PRECONCEITO e RESISTÊNCIA.

O preconceito vem naquelas situações cotidianas sutis que parece que nada está acontecendo mas você sabe quando está sendo observado quando entra numa loja, ou quando o garçom de um restaurante um pouco mais chique demora pra te atender, quando as pessoas mudam o lado da rua quando você está indo em sua direção, e claro não podemos esquecer do tratamento especial das Policia rss... Quem é NEGRO sabe, que vivemos num pais hipócrita, e que se você for um negro que cabe nos "padrões" da hipocrisia, se for um negro de estilo, um afro-conveniente vocês serão "bem" recebidos por aqueles que acham que tem o poder de dizer quem é bom e quem é ruim.

A nossa RESISTÊNCIA vem boladona com a nossa arte, com a nossa musica, com as nossas cores e sabores que todo NEGRO tem guardada dentro de si. Com a capacidade de passar por cima das situações mais constrangedores e seguir de cabeça levantada, porque nessa hora tenho certeza que toda mulher e todo homem negro recebe a força de nossos ancestrais para seguirmos firmes e fortes.

 Não estou aqui dizendo que ser negro é fácil, vejo muito por ai, discriminação de negros com negros pelo simples fato do tom de pele de fulano ser mais claro que de ciclano. Precisamos nos desprender desse tal do colorismo e nos unir como povo que foi desmantelado a mais de 500 anos e voltar a ser um povo forte.

 É com muita RESISTÊNCIA, LUTA E ARTE, que vamos desalienando o povo NEGRO. E como diria os mestres dos Racionais MC's: É necessário sempre acreditar que um sonho é possível que o céu é o limite e você truta é imbatível...